Dor acromioclavicular

Quais as causas de dor acromioclavicular?

A articulação acromioclavicular está localizada na parte mais superior do ombro e pode ser facilmente palpada na parte mais lateral da clavícula. Também pode ser chamada de clavícula distal ou lateral da clavícula.

Existem 3 causas principais de dor nessa região:

  1. Artrose acromioclavicular
  2. Osteólise da clavicular distal
  3. Luxação acromioclavicular. Clique aqui para saber mais.

Anatomia da articulação acromioclavicular

A articulação acromioclavicular une a clavícula distal ao acromio, osso que faz parte da escápula (omoplata). Essa articulação possui um disco intra-articular meniscal, uma membrana sinovial e cartilagem. Ela é mantida na posição por ligamentos ao seu redor, que são mais fortes e espessos na sua porção superior. O formato do acromio é côncavo e incongruente, com diversas variações no formato da clavícula. A maior parte do movimento da clavícula não ocorre nessa articulação e sim entre a clavícula e o esterno. A rotação da clavícula tem uma amplitude de 45°, sendo apenas de 5° na acromioclavicular.

A combinação de alguns fatores está relacionada a grande frequência de lesões da articulação acromioclavicular.

  1. É uma articulação diartrodial, semelhante ao joelho, quadril e ombro, com cartilagem hialina. Apresenta, portanto, os mesmos riscos de degeneração dessas outras articulações, que tem grande influência metabólica;
  2. Por ser muito superficial e ter relação com a cintura escapular, tem maior risco de sofrer trauma direto;
  3. A biomecânica da cintura escapular transmite uma grande carga para uma articulação com superfície pequena, que pode resultar em falha em atividades repetitivas e “overuse”. A ênfase moderna no fortalecimento dos membros superiores sobrecarrega ainda mais essa articulação, que é o elo fraco entre o tronco e os membros superiores.
  4. A má postura escapular, com excessiva protracão da escápula, também pode estar relacionada ao aumento da sobrecarga dessa região. Leia mais sobre a relação entre a postura e a dor no ombro.

O que é a artrose ou artropatia acromioclavicular?

 
Artroseacromioclavicular_anatomia.jpg
 

Artrose é a degeneração de uma articulação, com perda da cartilagem local. O desgaste dessa articulação é muito comum e pode ocorrer em adultos jovens. Sua degeneração é mais rápida que nas outras articulações, sendo que seu disco articular já pode estar ausente a partir dos 20 anos. Aos 40 anos, muitos indivíduos, principalmente quem praticou exercícios físicos com os membros superiores, já apresentará artrose desse articulação.

A artrose é a causa de dor mais comum dessa região. Pode causar dor local, irradiada para o ombro e para o trapézio. Dificilmente pode causar perda dos movimentos do braço.

Em muitos casos, a artrose pode ser assintomática, não causando dor ou outra consequência para o paciente. Alguns estudos demonstram que mais de 50% de indivíduos sem dor dessa articulação possuem artrose. É uma artrose completamente diferente da artrose do ombro, afecção muito mais grave e complexa.

 
Artroseacromioclavicular_local da dor.jpg
 

Muitos laudos de ressonância magnética descrevem a artrose acromioclavicular de diferentes modos:

  • Sinais de sobrecarga acromioclavicular
  • Degeneração da articulação acromioclavicular
  • Artropatia acromioclavicular
  • Artrose acromioclavicular com espessamento capsulossinovial, irregularidades corticais, cistos / focos de edema ósseo subcondral. Pequenos osteófitos marginais inferiores.
  • Espessamento capsuloligamentar e edema periarticular da acromioclavicular, de natureza mecânica/degenerativa.
  • Artrose acromioclavicular com espessamento capsular, osteófitos marginais e edema subcondral, além de ossificação pericapsular superior.
  • Leve artrose acromioclavicular caracterizado por osteófitos marginais e focos de edema ósseo em ambos os componentes, associado a leve espessamento capsular.

Nem toda artrose acromioclavicular causa ou causará dor ou alguma outra consequência no futuro. O tratamento só é necessário nos casos que apresentam dor.

O que é a osteólise da clavícula distal?

É uma afecção que tem se tornado muito mais frequente com os esportes de alta carga de membros superiores, como a musculação, treinos funcionais e Cross-Fit. Microtrauma local por movimentos repetitivos que causam microfraturas no osso subcondral (osso abaixo da cartilagem). Pode estar relacionado ao supino, crucifixos ou “flies”, que podem causar tração excessiva, mesmo sem trauma direto. Alguns autores chamam essa doença como o “ombro do levantador de peso” devido a grande associação com esse esporte.

Como é feito o diagnóstico da artrose ou osteólise acromioclavicular ?

O diagnóstico deverá realizado pelo exame físico, por radiografias e, se julgado necessário pelo médico, pela ressonância magnética.

A dor é bem característica no topo do ombro, na parte mais lateral da clavícula. A dor costuma pior com a adução do ombro, quando o paciente tenta alcançar o outro ombro com a mão. Também costuma ser doloroso ao se deitar sobre o ombro acometido. Alguns testes específicos serão realizados pelo médico para confirmar o diagnóstico clínico.

A radiografia pode demonstrar a artrose ou osteólise. Pode ser necessária a ressonância magnética para complementar o diagnóstico ou para descartar outras doenças do ombro.

Artroseacromioclavicular_ressonancia.jpg

Qual é o tratamento da artrose acromioclavicular ou da osteólise?

Ambas essas alterações tem boa resposta com o tratamento conservador e, raramente, uma cirurgia é necessária. O tratamento deverá ser individualizado pelo médico, que indicará as medicações necessárias. Por ser uma articulação superficial, o uso de gelo e anti-inflamatórios tópicos pode apresentar uma boa resposta. A fisioterapia também pode ser indicada para auxiliar na melhora da dor.

Quais são os movimentos a evitar na presença de dor acromioclavicular

Uma etapa fundamental do tratamento é a modificação das atividades esportivas e diárias que aumentem a sobrecarga dessa região.

Os principais movimentos que sobrecarregam a articulação acromioclavicular são:

  • Adução horizontal: que é o movimento de “fechamento” do ombro. Quando cruzamos a mão para o outro ombro. Muito realizada nos exercícios de musculação como o crucifixo ou ao final do movimento de forehand ou do saque no tênis.
  • Elevação ou abdução do ombro: que é o movimento em que o braço passa da altura do ombro. Comumente sobrecarrega a articulação acromioclavicular quando é superior a 90º. Mas dependendo da posição da escápula (em pacientes com protração) essa sobrecarga pode ocorrer antes de 90º de elevação.

E quando a dor acromioclavicular é persistente e não melhora com as medidas conservadoras?

Na eventualidade da persistência do quadro doloroso e sem a melhora com o tratamento conservador, existem algumas opções que podem ser propostas pelo seu médico.

Infiltração

A infiltração consiste na aplicação de uma injeção com medicações dentro da articulação acromioclavicular, após a aplicação de um anestésico local. Essa aplicação comumente é feita com corticoides de depósito (anti-inflamatórios de longa duração). Mais recentemente tem sido utilizado a viscossuplentação com ácido hialurônico. Ainda faltam estudos científicos de maior qualidade para comprovar a sua eficácia na artrose acromioclavicular.

 
Artroseacromioclavicular_infiltracao.jpg
 

Tratamento cirúrgico da artrose acromioclavicular

A cirurgia para a artrose acromioclavicular é realizada para retirar um fragmento da clavícula de 0,5cm e o disco articular doente. O espaço residual é preenchido por fibrose cicatricial, não causando complicações no movimento ou função do ombro. Esse procedimento é descrito como “ressecção da clavícula distal” ou procedimento de Mumford (autor que descreveu a técnica). Ele pode ser realizado por artroscopia ou de modo aberto, sendo que não existem diferenças significativas entre as técnicas. Seu médico deverá orientar as vantagens e desvantagens de cada técnica, além de orientar sobre suas preferências.


Posts relacionados